PEDRO CARRACA

pedro_carraca_a Tem o curso do Instituto Franco-Português (1994), tendo trabalhado com António Feio, Fernando Gomes, Aldona Skiba-Lickel, Clara Andermatt, Luís Miguel Cintra, João Brites, Raul Atalaia, Fernanda Lapa, Almeno Gonçalves, Adriano Luz, Castro Guedes, Diogo Dória, Jorge Listopad, José Mora Ramos, Maria do Céu Guerra. Integra os Artistas Unidos desde 1996.

Nos Artistas Unidos:
1996 - O FIM OU TENDE MISERICÓRDIA DE NÓS de Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (Culturgest).
1997 - PROMETEU-RASCUNHOS de Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Comuna); PROMETEU AGRILHOADO/LIBERTADO de Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Trindade).
1998 - A QUEDA DO EGOÍSTA JOHANN FATZER de Bertolt Brecht, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Variedades).
1999 - NA SELVA DAS CIDADES de Bertolt Brecht, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Comuna).
2000 - HOMEM MAU de Rui Guilherme Lopes (A Capital Teatro Paulo Claro); O NAVIO DOS NEGROS de Jorge Silva Melo, encenação de Jorge Silva Melo (Culturgest).
2001 - LONGE de Rui Guilherme Lopes (A Capital Teatro Paulo Claro); O MEU BLACKIE de Arne Sierens, encenação de Cláudio da Silva (A Capital Teatro Paulo Claro); E DEPOIS (BAL TRAP) de Xavier Durringer, encenação de Gilles Lefeuvre-Kiraly (A Capital Teatro Paulo Claro).
2002 - O AMANTE de Harold Pinter, encenação de Jorge Silva Melo (Rivoli Teatro Municipal); MOUCHETTE de Arne Sierens, encenação de Pedro Carraca (Voruit - Gent / Voz do Operário).
2003 - BAAL de Bertolt Brecht, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Viriato); A FESTA de Spiro Scimone, um trabalho de Miguel Borges e Américo Silva (Citemor); T1 de José Maria Vieira Mendes, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Taborda). CADA DIA A CADA UM A LIBERDADE E O REINO (Sala do Senado da Assembleia da República). VIVE QUEM VIVE, de Jacques Prévert, um trabalho de António Simão e Joana Bárcia (Teatro Taborda).
2004 - TERRORISMO dos Irmãos Presniakov, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Taborda). NÃO POSSO ADIAR O CORAÇÃO (Assembleia da República); MADE IN CHINA de Mark O´Rowe, encenação de António Simão (Teatro Taborda); NO PAPEL DA VÍTIMA dos Irmãos Presniakov, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Nacional D. Maria II).
2005 - CONFERÊNCIA DE IMPRENSA E OUTRAS ALDRABICES de Harold Pinter, Antonio Tarantino, Arne Sierens, Antonio Onetti, Davide Enia, Duncan McLean, Enda Walsh, Finn Iunker, Irmãos Presniakov, Jon Fosse, José Maria Vieira Mendes, Jorge Silva Melo, Juan Mayorga, Letizia Russo, Marcos Barbosa, Miguel Castro Caldas, Spiro Scimone, uma canção de Boris Vian e outros ainda, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Nacional D. Maria II). MUSIC-HALL de Jean-Luc Lagarce. Encenação de François Berreur. (Centro Cultural de Belém), A FÁBRICA DE NADA de Judith Herzberg, encenação de Jorge Silva Melo (Culturgest), OS ANIMAIS DOMÉSTICOS de Letizia Russo, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Nacional D. Maria II).
2006 - A MATA de Jesper Halle, encenação de Franzisca Aarflot (Teatro de Almada)
2007 - LILÁS de Jon Fosse, encenação João Miguel Rodrigues ( CCB); HAMELIN de Juan Mayorga, encenação colectiva (Convento das Mónicas); DISCO PIGS de Enda Walsh, encenação de Franzisca Aarflot (Sociedade Guilherme Cossoul).
2008 - BABEL de Miguel Castro Caldas e Jesper Halle, encenação Franzisca Aarflot (Citemor-Montemuro); NORUEGA-LISBOA-NORUEGA (Fundação Calouste Gulbenkian; São Luiz Teatro Municipal).
2009 - ESTA NOITE IMPROVISA-SE de Luigi Pirandello, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Nacional D. Maria II); SEIS PERSONAGENS À PROCURA DE AUTOR de Luigi Pirandello, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Municipal São Luiz).
2010 - CANTIGAS DE UMA NOITE DE VERÃO (Uma peça de amores e desencontros) de David Grieg e Gordon McIntyre, encenação de Francisca Aarflot (Teatro da Trindade); COMEMORAÇÃO de Harold Pinter, encenação de Jorge Silva Melo (CCB).
2011 - FALA DA CRIADA DOS NOAILLES QUE NO FIM DE CONTAS VAMOS DESCOBRIR CHAMAR-SE TAMBÉM SÉVERINE NUMA NOITE DO INVERNO de 1975, EM HYÉRES de Jorge Silva Melo (Teatro da Trindade). NÃO SE BRINCA COM O AMOR de Alfred de Musset, encenação de Jorge Silva Melo (Teatro Viriato); A FARSA DA RUA W de Enda Walsh (Teatro da Politécnica).
2012 - O RAPAZ DA ÚLTIMA FILA de Juan Mayorga, coordenação João Miguel RodriguesPENÉLOPE de Enda Walsh (Teca); OS CAPRICHOS DA MARIANNE de Alfred de Musset (Palácio Fronteira); PALÁCIO DO FIM de Judith Thompson (Teatro da Politécnica).
2013 - POR TUDO E POR NADA de Nathalie Sarraute encenação de Jorge Silva Melo (Teatro da Politécnica).
2014 - PUNK ROCK de Simon Stephens, encenação de Pedro Carraca (Teatro da Politécnica).

O Regresso a Casa

Um Precipício no Mar

Para informações:

artistasunidos@artistasunidos.pt
213 916 750

E fora da Politécnica

JULHO/AGOSTO

um precipicio no mar UM PRECIPÍCIO NO MAR
No Festival Altitudes de Montemuro, a 14 de Agosto

Livrinhos de Teatro

capa78 A INAPETÊNCIA/A EXTRAVAGÂNCIA/A MODÉSTIA de Rafael Spregelburd
Livrinhos de Teatro nº 78
Livraria Online >>

Subscrever Newsletter