MIKADO a partir de textos de Álvaro Lapa, Alberto Cinza e William Burroughs

mikado_c MIKADO a partir de textos de Álvaro Lapa, Alberto Cinza e William Burroughs
Com João Meireles e Joaquim Horta Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos Graffiti Rui Mendes Montagem vídeo Ruy Otero Música original Canal Caveira Selecção Musical Luís Elgris Estúdio de gravação André Pires Direcção técnica José Rui Silva Fotografia Jorge Gonçalves Produção Catarina Saraiva e Pedro Gardete Um projecto de João Meireles e Joaquim Horta

Estreia Antiga Fábrica Mundet do Seixal. (Seminário SEM DEUS NEM CHEFE 1), 3 de Outubro de 1998.
Teatro da Comuna, em Abril de 1999.

mikado_aÁlvaro Lapa. Há já um tempo que ando às voltas com este nome, com os livros, com os quadros, com as histórias, enfim com a vontade de fazer qualquer coisa com esta obra que fui conhecendo ao acaso. Peças soltas sem cronologia nem intenção. Discurso irónico mas certeiro, crítico e jocoso, por vezes poético até, mais sonhador, de resto desencantado, filosófico, pensamento veloz, mais rápido que as palavras, raciocínio denso, alucinante. Desafio. Este espectáculo é como uma (a)mostra, uma selecção de textos que percorre diferentes universos (político, doméstico, social e pessoal ) num mosaico de ideias e reflexões que afasta qualquer principio de continuidade mas que convida como numa exposição a visitar este ou aquele assunto, voltar atrás, saltar dois e dedicar mais tempo a um pormenor. Arbitrariamente. Um espectáculo de música também, pois é ela que conduz, constante este passeio através de fragmentos, de partes e que ligando cria um todo. 60 minutos. Um actor, DJ, locutor, entertainer opera a régie como maestro ou cicerone e emite palavras, sons, imagens soltas (à solta) para o que der e vier, para quem as apanhar. Um homem que se dá em espectáculo sem nunca lá estar, no que transmite. Um homem invisível.
João Meireles

Só pela coragem de propor uma abordagem diferente do teatro, já valeu a pena criar este formato de espectáculo. Estranho e ousado, mas interessante.
Rita Bertrand
Semanário, Abril 1999

Teatro da Politécnica

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, www.bol.pt, Fnac, Worten, CTT, El Corte Inglês, Pousadas da Juventude, Serveasy, Pagaqui. Para INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

fragil 1 prog FRÁGIL
Em Sobral de Monte Agraço, no CineTeatro Sobral a 28 de Abril
Em Sintra, no Chão de Oliva a 4 e 5 de Maio
Em Aveiro, no Teatro Gretua a 8 e 9 de Junho

o rapaz de ucello prog

O RAPAZ DE UCELLO ou aquilo que nunca perguntei ao Álvaro Lapa
No Porto, no Auditório de Serralves, 6 de Maio às 18h00

O Teatro da Amante Inglesa prog O TEATRO DA AMANTE INGLESA
Em Évora, n’A Bruxa Teatro a 11 e 12 de Maio
Em Alverca, no Teatro Estúdio Ildefonso Valério a 26 de Maio
Em Setúbal, no Fórum Luísa Todi a 29 de Agosto
a voz dos poetas prog A VOZ DOS POETAS
Na Biblioteca da Imprensa Nacional
7 de Maio - Gomes Leal por Jorge Silva Melo e Manuel Wiborg
fernando lemos prog FERNANDO LEMOS - como? Não é retrato?
de Jorge Silva Melo
Na RTP2, 9 de Maio às 23h15
EM VOZ ALTA prog EM VOZ ALTA os nossos poetas

Livrinhos de Teatro

capa115

O TEATRO DA AMANTE INGLESA
de Marguerite Duras
Livrinhos de Teatro nº 115 Artistas Unidos/Cotovia

Livraria online »»

Subscrever Newsletter