PRIMEIRO AMOR de Samuel Beckett

primeiro_amor_a PRIMEIRO AMOR de Samuel Beckett
Tradução Francisco Frazão Com Miguel Borges Cenografia e figurinos Rita Lopes Alves, José Manuel Reis, Ana Paula Rocha, Isabel Nogueira e João Cachulo Luz Pedro Domingos Um espectáculo de Miguel Borges com a colaboração de Gracinda Nave, Jorge Silva Melo, Pedro Carraca, Pedro Marques e Paulo Claro

Estreia Espaço A Capital/ Teatro Paulo Claro, 8 de Fevereiro de 2001

O texto está publicado nas edições Ambar

"Naquela altura eu não percebia as mulheres. Aliás agora também não. Nem os homens. Nem os animais. O que percebo melhor, e não é dizer muito, são as minhas dores."
Samuel Beckett,
Primeiro Amor

primeiro_amor_bPRIMEIRO AMOR: A novela começa num cemitério e termina com um parto. Há espaços que se percorrem: uma casa, um banco de jardim, um estábulo, outra casa. Uma voz, sem nome, fala e consegue contar uma história, a sua. Deprimente, escatológica, lírica, divertida. Mais ou menos uma história de amor. Podia ser outra, diferente mas parecida. PRIMEIRO AMOR faz parte de um conjunto de quatro novelas, os primeiros textos de ficção que Beckett escreveu em francês, no pós-guerra, antes de À ESPERA DE GODOT. As outras chamam-se O EXPULSO, O CALMANTE e O FIM, monólogos de vagabundos e inadaptados, com o crânio numa lástima, atravessadas por temas, lugares, objectos e expressões comuns. Ainda se contam histórias, ainda há uma espécie de personagens. Depois, só bocados e vozes, interrupções do silêncio.

À nossa frente, uma parede azul quase turquesa; ao meio, uma porta castanha que dá para um corredor perspectivado; uma mesa, uma cadeira, um chão de terra. Miguel Borges não pára um segundo, mesmo que crie pausas, como logo de início, quando a memória lhe traz "as lágrimas aos olhos". As palavras de Beckett passam a ser suas, também, num discurso por vezes quase sussurrado, em que para o som e para o sentido o actor cria um movimento também contínuo, vital, e que parece sempre certo.
João Carneiro
Expresso, 17/03/2001

Teatro da Politécnica

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, www.ticketline.sapo.pt, Fnac, Worten, C. C. Dolce Vita, El Corte Inglês, Casino Lisboa, Galeria Comercial Campo Pequeno, Lojas Viagens Abreu e INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

não me lembro de nada de arthur miller prog NÃO ME LEMBRO DE NADA
Na Antena 2, Teatro Sem Fios, 4 de Julho às 19h00 (repetição a 1 de Agosto às 21h00)
tenho trinta anos prog TENHO TRINTA ANOS, ESTOU NA CADEIA HÁ QUATRO
No Jardim de Verão da Fundação Calouste Gulbenkian, 7 de Julho às 19h00

a arte em imagens 1 A ARTE DAS IMAGENS
De janeiro de 2017 a janeiro de 2018 nos primeiros domingos de cada mês, às 15h30, a Fundação Arpad Szenes - Vieira da Silva exibe os filmes produzidos pelos Artistas Unidos sobre artistas plásticos.

Livrinhos de Teatro

capa103 FARMÁCIA DE SERVIÇO e outras peças em um acto
de Eduardo de Filippo
Livrinhos de Teatro nº 103 Artistas Unidos / Cotovia
Livraria online »»

Subscrever Newsletter