RÁDIO CLANDESTINA de Ascanio Celestini

radio_clandestina_a RÁDIO CLANDESTINA
Roma, Valas Ardeatinas, Memória
Escrito, dirigido e representado por Ascanio Celestini
Música Original de Matteo D’Agostino

Teatro Taborda, 12, 13 e 14 de Julho de 2005
Integrado no Festival de Teatro de Almada
Apoio da Egeac

Uma mulher aproxima-se e pede a alguém que lhe leia uns placards onde está escrito “aluga-se” e “vende-se”. É iletrada. Alguém diz “Hoje em dia pessoas como a senhora são raras, mas durante a guerra havia muitas pessoas que não sabiam ler nem escrever. E muitas delas iam ao cinema do meu avô Giulio, perto da Porta Pia, o Iris, para que lhes lessem as proclamações dos Alemães que vinham nos jornais.”

Baseado em L’ordine è già stato eseguito (A ordem já foi cumprida) de Alessandro Portelli

radio_clandestina_bEm Março de 1944, a proclamação que lhes leram anuncia a morte de 320 pessoas: o massacre das Valas Ardeatinas. “A carnificina nas Valas Ardeatinas é uma história que se pode contar num minuto ou numa semana.” É uma história que começa no século dezanove, quando Roma se torna capital da Itália, e continua durante os anos seguintes quando são construídos os bairros de periferia, depois em África e na Espanha, nas leis anti-semitas de 1938, na Segunda Guerra Mundial, no bombardeamento de San Lorenzo e chega até ao armistício de 8 de Setembro de 1943. É a história da ocupação alemã, mas não acaba com a Libertação de Roma. É a história de homens enterrados debaixo de toneladas de terra numa pedreira na Via Ardeatina e das mulheres que vão à procura deles, as mulheres trabalhadoras dos anos Cinquenta, e dos filhos e netos que ainda contam a história.
23 de Março de 1944: Os Grupos de Acção Patriótica de partisans atacam uma coluna de polícias Alemães na Via Rasella.
24 de Março de 1944: Em resposta, os Nazis executam 335 pessoas numa pedreira na Via Ardeatina.
25 de Março de 1944: Nos jornais de Roma está escrita a proclamação Nazi que denuncia a acção partisan e o massacre que se seguiu.

Contada assim, parece ser uma história que começa num dia e termina dois dias depois; uma história que dura algumas horas apenas. Mas um livro premiado de Alessandro Portelli (Prémio Viareggio), L’ordine è già stato eseguito, coloca-a no meio dos nove meses de ocupação Nazi de Roma, e depois dentro dos cinco anos de guerra, e vinte anos de Fascismo; na história oral de uma Roma que foi feita capital de Itália e começa a mudar rapidamente. O livro é baseado em 200 entrevistas e testemunha o facto de que não é uma história de três dias mas sim uma coisa viva, ainda reconhecível como parte da memória de toda uma cidade.

O primeiro estudo para um projecto mais alargado sobre a tradição oral e memória do massacre das Valas Ardeatinas for apresentado de 31 de Outubro a 3 de Novembro na cela nº11 na antiga prisão Nazi em Roma (Via Tasso), agora Museu da Libertação, como parte do programa I Luoghi della Memoria (Lugares da Memória), organizado pela Cidade de Roma e o Teatro de Roma.

Teatro da Politécnica

emilia prog 1 EMÍLIA
de 11 de Setembro a 19 de Outubro
NIKIAS quadrado prog NIKIAS SKAPINAKIS - Pintura e Desenho - 2018-2019
de 11 de Setembro a 19 de Outubro
VEMO NOS AO NASCER DO DIA de ZInnie Harris prog VEMO-NOS AO NASCER DO DIA
de 6 de Novembro a 14 de Dezembro
RETRATO DE UM RAPAZ prog RETRATO DE UM RAPAZ
de 6 de Novembro a 14 de Dezembro

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, 212473972, www.bol.pt, Fnac, Worten, CTT, El Corte Inglês, Pousadas da Juventude, Serveasy, Pagaqui. Para INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

sonho prog SONHO (MAS TALVEZ NÃO)
Na Antena 2, Teatro Sem Fios, a 24 de Setembro às 19h00
VEMO NOS AO NASCER DO DIA de ZInnie Harris prog VEMO-NOS AO NASCER DO DIA
No Teatro Estúdio-Ildefonso Valério a 25 e 26 de Outubro
VIDAS ÍNTIMAS de Nöel Coward prog VIDAS ÍNTIMAS
No Teatro Municipal de Vila Real a 31 de Outubro
No Teatro Municipal da Guarda a 8 de Novembro
No Porto, no Teatro Nacional São João de 14 de Novembro a 1 de Dezembro
No Teatro Aveirense a 6 de Dezembro
Em Ponte de Lima, no teatro Diogo Bernardes a 14 de Dezembro
Na Póvoa de Varzim, no Cine-Teatro Garrett a 4 de Janeiro de 2020
Em Setúbal, no Fórum Municipal Luísa Todi a 11 de Janeiro de 2020
Em Santarém, no Teatro Municipal Sá da Bandeira a 18 de Janeiro de 2020
Em Braga, no Theatro Circo a 25 de Janeiro de 2020
Em Leiria, no Teatro José Lúcio da Silva a 6 de Fevereiro de 2020
Em Coimbra, no Convento S. Francisco a 8 de Fevereiro de 2020
Em Viana do Castelo, no Teatro Sá de Miranda a 15 de Fevereiro de 2020
Em Torres Novas, no Teatro Virgínia a 29 de Fevereiro de 2020
No CCB – Centro Cultural de Belém de 4 a 9 de Março de 2020
a voz dos poetas prog A VOZ DOS POETAS
Biblioteca da Imprensa Nacional (Rua da Escola Politécnica)

23 de Setembro – Mário Cesariny por Maria João Luís e Jorge Silva Melo
11 de Novembro – José Gomes Ferreira por João Meireles (distribuição em curso)

EM VOZ ALTA prog EM VOZ ALTA
os nossos poetas leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

Livrinhos de Teatro

K 127 Claudel

PARTIR A MEIO DIA
De Paul Claudel
Livrinhos de Teatro nº 127 Artistas Unidos/Cotovia

Livraria online »»

Subscrever Newsletter