SEGUNDA COLINA pintura de Ivo

segunda_colina_a SEGUNDA COLINA pintura de Ivo
Os trabalhos da exposição relacionam-se com vestígios de pautas musicais, cadernos de duas linhas e outros registos. Marcas que estarão associadas a afirmacões do Tempo e do Espaco.  A exposição será constituída por quadros de médias e grandes dimensões e uma escultura.  Nesses trabalhos haverá uma preocupacão de sobrepor diferentes registos, associando ou contrapondo  marcas, como hipotéticas plantas de cidade (ocupacão do homem), palavras (associadas a uma memória  pessoal e/ou colectiva) etc., mostrando uma pluralidade de intenções.
Ivo
Maio de 2006

No Convento das Mónicas, 12 de Outubro de 2006
Em Tavira, no Palácio da Galeria a partir de 13 de Janeiro de 2007

SOBRE O TRABALHO DO ARTISTA
segunda_colina_bIvo Silva nasceu em Lisboa, onde frequentou a Escola de Belas-Artes. Comecou a expor em 1983. Uma presença impositiva nos quadros de Ivo Silva é conseguida pela atencão concedida pelo pintor à globalidade da imagem e ao tratamento do suporte. Tal presença não é conseguida nem pela gestualidade  enérgica da execução nem pela alusão figurativa, apesar de o pintor tirar partido do tradicional hábito de  procurar representações de objectos e de paisagens nas pinturas. As linhas podem adensar-se em zonas  simétricas do suporte, mas raramente se cruzam de igual modo. Se se fecham em simulacros de contornos  de objectos, estes permancem inidentificados. A procura insistente obtem dados insólitos, como montanhas  cor de sangue, vales estranhos; armações metálicas que podem erguer-se no horizonte, mas que podem  também glosar o emolduramento da própria pintura; linhas que convergem não numa perspectiva central  estática, mas lateral, vertiginosa; na brecha dos planos frontais, indefinidas formas orgânicas estiram-se  molemente.  Entre a construção rígida de espacos e a flutuação de manchas amorfas, a matéria pictural vibra, entregue  a múltiplas leituras. A sua presença física densa é necessária para as metamorfoses e metáforas  experimentadas. Ivo pensa enquanto coloca, arrasta e arranha estas matérias cromáticas. Todas as  ambiguidades da função da cor são exploradas. Incrustada na matéria, transmutadas em luz, situada como  objecto ou como mero reflexo, a cor de Ivo, sendo Expressionista, não é, porém, directa. «Penso em termos  de forças e formas implosivas, capazes de energia concentrada», diz ele. «Estou preocupado com a  superfície, como pele que cobre o corpo da pintura. Procuro a textura áspera, porque acredito que nela se  encontra o momento e a presença humana.».
As relações entre os elementos pictóricos esclarecem-se através da multiplicidade de siginificações e,  assim, o acto pictural constitui-se como instauração o de nova linguagem, que afirma e nega ao sabor do  humor. Os títulos dos seus quadros auxiliam a distanciação psíquica necessária a este momento  instaurador.
Rui Mário Gonçalves

Teatro da Politécnica

emilia prog EMÍLIA
de 11 de Setembro a 19 de Outubro
   

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, 212473972, www.bol.pt, Fnac, Worten, CTT, El Corte Inglês, Pousadas da Juventude, Serveasy, Pagaqui. Para INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

a voz dos poetas prog A VOZ DOS POETAS
Biblioteca da Imprensa Nacional (Rua da Escola Politécnica)

23 de Setembro – Mário Cesariny por Maria João Luís e Jorge Silva Melo
11 de Novembro – José Gomes Ferreira por João Meireles (distribuição em curso)

EM VOZ ALTA prog EM VOZ ALTA
os nossos poetas leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

Livrinhos de Teatro

K 126 Max Frisch

O SENHOR BIEDERMANN E OS INCENDIÁRIOS / ANDORRA
De Max Frisch
Livrinhos de Teatro nº 126 Artistas Unidos/Cotovia

Livraria online »»

Subscrever Newsletter