HÁ TANTO TEMPO de Harold Pinter

ha_tanto_tempo_a HÁ TANTO TEMPO (Old Times) de Harold Pinter
Tradução Jorge Silva Melo Com Isabel Muñoz Cardoso, Nuno Melo e Margarida Marinho Cenografia e figurinos Rita Lopes Alves, Rosa Gonçalves e José Manuel Reis
Luz Pedro Domingos Encenação Solveig Nordlund
Uma produção Solveig Nordlund /Artistas Unidos/ Centro Cultural de Belém

Estreia Centro Cultural de Belém, 26 de Julho de 2002
CAM/Acarte, 24 de Outubro de 2002

O texto está publicado no volume TEATRO II de Harold Pinter (Ed. Relógio d´Água ).

ha_tanto_tempo_bOLD TIMES estreou no Aldwych Theatre no dia 1 de Junho de 1971, numa produção da Royal Shakespeare Company com o seguinte elenco: Deeley - Colin Blakely; Anna - Vivien Merchant; Kate - Dorothy Tutin. Encenação de Peter Hall. Cenários e iluminação de John Bury. Figurinos de Beatrice Dawson. Em Portugal estreou a 12/10/78 com tradução de Ricardo Alberty e encenação de Carlos Quevedo com Catarina Avelar, Fernando Curado Ribeiro e Graça Lobo.
O casal mora numa quinta recuperada for a de Londres. Uma amiga chega. A maior amiga da mulher. Mas quem é ela? Uma ladra? A amante da mulher? A antiga amantedo marido? Uma escrita teatral rarefeita, incisiva sobre os meandros da memória e o passado. E a sombra da boémia de uma Londres dos anos 50 que não voltam.
Um pesadelo? Um jogo? O que é a base sempre mutável desta relação? O sonho está embebido de realidade, a realidade e as memórias têm uma qualidade onírica e os jogos são sonhos feitos de fragmentos da realidade.
Martin Esslin
Com OLD TIMES, Pinter rompe com o "teatro da ameaça" para inaugurar aquilo que se poderia chamar " o teatro da recordação". Tudo se passa em sítios fechados, e a tentativa de domínio de um por outro ser continua a ser real. Mas o presente é só o reflexo de um passado sujeito a caução, o afrontamento de lembranças diversas ou contraditórias numa espécie de concurso da memória tanto mais perigoso quanto é elegante, subtil e finalmente mortal.
Eric Kahane

Teatro da Politécnica

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, www.bol.pt, Fnac, Worten, CTT, El Corte Inglês, Pousadas da Juventude, Serveasy, Pagaqui. Para INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

fragil 1 prog FRÁGIL
Em Sobral de Monte Agraço, no CineTeatro Sobral a 28 de Abril
Em Sintra, no Chão de Oliva a 4 e 5 de Maio
Em Aveiro, no Teatro Gretua a 8 e 9 de Junho

o rapaz de ucello prog

O RAPAZ DE UCELLO ou aquilo que nunca perguntei ao Álvaro Lapa
No Porto, no Auditório de Serralves, 6 de Maio às 18h00

O Teatro da Amante Inglesa prog O TEATRO DA AMANTE INGLESA
Em Évora, n’A Bruxa Teatro a 11 e 12 de Maio
Em Alverca, no Teatro Estúdio Ildefonso Valério a 26 de Maio
Em Setúbal, no Fórum Luísa Todi a 29 de Agosto
a voz dos poetas prog A VOZ DOS POETAS
Na Biblioteca da Imprensa Nacional
7 de Maio - Gomes Leal por Jorge Silva Melo e Manuel Wiborg
fernando lemos prog FERNANDO LEMOS - como? Não é retrato?
de Jorge Silva Melo
Na RTP2, 9 de Maio às 23h15
EM VOZ ALTA prog EM VOZ ALTA os nossos poetas

Livrinhos de Teatro

capa115

O TEATRO DA AMANTE INGLESA
de Marguerite Duras
Livrinhos de Teatro nº 115 Artistas Unidos/Cotovia

Livraria online »»

Subscrever Newsletter