T1 de José Maria Vieira Mendes

t1_a T1 de José Maria Vieira Mendes
Com Joana Bárcia , António Simão , Pedro Carraca e Miguel Borges Cenografia e figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos Som André Pires Encenação Jorge Silva Melo assistido por João Meireles e Américo Silva

Estreia Teatro Taborda, 23 de Outubro de 2003

O Texto está publicado nos LIVRINHOS DE TEATRO, Volume 6 dos Artistas Unidos.

Um quarto, uma rapariga, três rapazes. Quando foi? Quem se perdeu? Porquê? Tudo se passa num T1, entre rapazes e raparigas. Houve umas cervejas. Ou foi só uma cantiga do verão que acabou?

SARA Tens comido?
ALBERTO Um bocado.
SARA O quê?
ALBERTO Baratas.
SARA Baratas?
ALBERTO Baratas o quê?
SARA O quê?
ALBERTO O que é que disseste?
SARA Eu?
ALBERTO Acho que não percebi.
SARA O que é que tu disseste?
ALBERTO Estás bem?
José Maria Vieira Mendes, T1

t1_bT1 é o primeiro original de José Maria Vieira Mendes escrito para várias personagens: fecha-se assim um círculo iniciado com DOIS HOMENS, um monólogo a partir de Kafka. Parte de uma regra antiga do teatro, a unidade de lugar: uma casa, três portas, quatro personagens que entram e saem, que se encontram e se despedem, bebem e falam. Podia ser uma comédia de boulevard, ou uma daquelas noites americanas de realismo psicológico. Mas se nas RUÍNAS de Sarah Kane a guerra rebentava uma parede para entrar dentro do quarto de hotel onde um casal discutia, se na peça anterior de JMVM tremia o CHÃO de duas casas diferentes que avançavam no tempo em direcções opostas, também em T1 o palco - embora imóvel como quase todos os palcos - não podia deixar de ser um lugar instável. Sem mudanças de cena, diante dos nossos olhos, veremos como uma sala pode esconder outra, e outra, e outra ainda. Basta acreditar (não é preciso ser todo o tempo, porque o tempo também vai entrar no jogo) nas histórias daquelas personagens. Elas próprias, às vezes, até sabem que as casas se movem como o oceano e se distinguem designadamente pelo cheiro.
Acreditamos num cenário em teatro quando tomamos um buraco por uma porta, o foco por uma lua, ou uma coluna que lá está por uma floresta. E por isso é possível um mesmo palco, uma mesma área, num dia ser isto e no seguinte aquilo. Quantas vezes não o vi acontecer no espaço d'a Capital, que acompanhei por dentro durante dois anos. Foram estas duas capacidades das paredes no teatro, a proteica e a sugestiva, que serviram de arranque para escrever T1. Quis uma peça que contasse a história de um cenário que começa com uma forma e acaba com outra, mas cuja mudança não fosse dada a ver, antes fosse sugerida. Assim contém o palco o fim já no princípio. Se nos distanciarmos, apercebemo-nos da ilusão, se nos mantivermos fiéis à ficção, acreditamos. As personagens apareceram mais tarde. São quatro, ouvem a música que me ajudou a escrever, música rápida, como a história. Filhas do cenário, cresceram nos apartamentos que vemos, nunca de lá saíram, e apesar disso, parece-me, podiam ser nossos vizinhos.
José Maria Vieira Mendes

Teatro da Politécnica

retrato prog RETRATO DE MULHER ÁRABE QUE OLHA O MAR
de 31 de Outubro a 8 de Dezembro
oteatro joaovieira prog VOLTAR A VER O JOÃO (VIEIRA)
de 31 de Outubro a 8 de Dezembro

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, www.bol.pt, Fnac, Worten, CTT, El Corte Inglês, Pousadas da Juventude, Serveasy, Pagaqui. Para INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

DO ALTO DA PONTE 2 prog DO ALTO DA PONTE
No Teatro Municipal de Vila Real a 19 de Outubro
No Teatro Municipal de Bragança a 27 de Outubro
Em Ponte de Lima, no Teatro Diogo Bernardes a 3 de Novembro
No Teatro Nacional de S. João de 8 a 25 de Novembro
No Teatro Aveirense a 30 de Novembro
Na Póvoa de Varzim, no Cine-Teatro Garret a 1 de Dezembro
No S. Luiz Teatro Municipal de 10 a 27 de Janeiro de 2019
Em Faro, no Teatro das Figuras a 31 de Janeiro de 2019
No Teatro Municipal de Almada a 9 e 10 de Fevereiro de 2019
Em Setúbal, no Fórum Municipal Luísa Todi a 16 de Fevereiro de 2019
Em Viana do Castelo, no Teatro Municipal Sá de Miranda a 16 de Março de 2019
fernando lemos prog FERNANDO LEMOS. Como, não é retrato?
Em Coimbra, no Caminhos Film Festival, Mini-Auditório Salgado Zenha a 30 de Novembro, às 18h00

EM VOZ ALTA prog EM VOZ ALTA os nossos poetas
a voz dos poetas prog A VOZ DOS POETAS
12 de Novembro Luís Vaz de Camões por Jorge Silva Melo
Biblioteca da Imprensa Nacional (Rua da Escola Politécnica)

Livrinhos de Teatro

assinaturas2019

Assinaturas Livrinhos de Teatro 2019

Assinar »»

Subscrever Newsletter