FILOCTETES de Heiner Müller

filoctetes_a FILOCTETES de Heiner Müller
Tradução José Maria Vieira Mendes Com Américo Silva, João Meireles e José Airosa Cenografia e figurinos Rita Lopes Alves, Rosa Gonçalves e José Manuel Reis Luz Pedro Domingos Encenação Jorge Silva Melo com a colaboração de Jorge Andrade e Pedro Carraca

Estreia Espaço A Capital/ Teatro Paulo Claro, 11 de Abril de 2002

A peça será brevemente publicada pelas Edições Cotovia, juntamente com outros textos de Müller.

Em 1961, depois de proibida a encenação de Die Umsiedlerin oder das Leben auf dem Lande em Berlim-Leste, Heiner Müller foi expulso da Associação dos Escritores.Em 1965, Der Bau recebe duras críticas e é abandonado o projecto de encenação. Como consequência das proibições e expulsões, o trabalho de Müller que se segue abandona o presente. No lugar da análise directa das estruturas da Alemanha Oriental, aparecem metáforas míticas e históricas. É por esta altura que trabalha sobre temas da antiguidade grega (Homero, Ésquilo e Sófocles), que traduz Shakespeare, Molière, Tchekov, Pogodin e Césaire e que escreve libretos para Paul Dessau. Desta fase são Filoctetes (1958/64), Hércules (1964), Édipo Tirano (1966) e Os Horácios (1968).

filoctetes_bFiloctetes é escrita entre 1958 e 1964 e publicada em 1965 na revista Sinn und Form. Mas não encenada. Só em 1968, depois de ter sido de novo publicada na Alemanha Ocidental, estreia em Munique uma produção de Filoctetes, revelando-se uma das peças de Müller que mais sucesso obteve. Foi a sua primeira peça a ser representada no Ocidente, no Théâtre de Gennevilliers, numa encenação de Bernard Sobel e uma das primeiras a ser feitas em Portugal, mais precisamente no Teatro da Rainha, em 1986 com tradução de José Peixoto, Adélia Silva Melo, Ana Maria Carvalho e Harry Lemmens, encenação de José Peixoto e interpretação de José Eduardo, Fernando Mora Ramos e Victor Santos. Também foi produzida pelo Ninho de Víboras numa encenação de Karas (Almada e Teatro Taborda)

"Filoctetes era para mim um assunto já muito antigo quando nele comecei a trabalhar. Li a peça de Sófocles em Sachsen, em finais dos anos 40. Desde essa altura que me ocupava. As experiências que tinha vivido há bem pouco tempo tornaram o material actual, de uma maneira muito diferente. Antes tinha pensado num seguimento diferente, num final diferente. Escrevi um poema Filoctetes,por volta de 1950, uma versão estalinista da história (...). Mais tarde, em 1953, havia já uma cena de uma peça com esse tema, e mais tarde ainda, depois de 1961, acabei de escrever tudo e acabou por ficar uma coisa completamente diferente daquela que tinha pensado."
Heiner Müller

"O decurso da história só é inevitável quando o sistema não é posto em causa. A comicidade na representação provoca a discussão dos seus pressupostos. Só o palhaço põe em causa o circo. Filoctetes, Ulisses, Neoptólomo: três palhaços e gladiadores da sua visão do mundo."
Heiner Müller

"Uma limpidez que, inteligentemente, deixa lugar não só à complexidade da peça, como ao trabalho de reflexão que o espectador é convidado a fazer. Exemplar trabalho de cenografia de Rita Lopes Alves e José Manuel Reis."
João Carneiro, Expresso

Teatro da Politécnica

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, www.bol.pt, Fnac, Worten, CTT, El Corte Inglês, Pousadas da Juventude, Serveasy, Pagaqui. Para INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

fragil 1 prog FRÁGIL
Em Sobral de Monte Agraço, no CineTeatro Sobral a 28 de Abril
Em Sintra, no Chão de Oliva a 4 e 5 de Maio
Em Aveiro, no Teatro Gretua a 8 e 9 de Junho

o rapaz de ucello prog 1

O RAPAZ DE UCELLO ou aquilo que nunca perguntei ao Álvaro Lapa
No Porto, no Auditório de Serralves, 6 de Maio às 18h00

O Teatro da Amante Inglesa prog O TEATRO DA AMANTE INGLESA
Em Évora, n’A Bruxa Teatro a 11 e 12 de Maio
Em Alverca, no Teatro Estúdio Ildefonso Valério a 26 de Maio
Em Setúbal, no Fórum Luísa Todi a 29 de Agosto
a voz dos poetas prog A VOZ DOS POETAS
Na Biblioteca da Imprensa Nacional
7 de Maio - Gomes Leal por Jorge Silva Melo e Manuel Wiborg
fernando lemos prog FERNANDO LEMOS - como? Não é retrato?
de Jorge Silva Melo
Na RTP2, 9 de Maio às 23h15
EM VOZ ALTA prog EM VOZ ALTA os nossos poetas

Livrinhos de Teatro

capa115

O TEATRO DA AMANTE INGLESA
de Marguerite Duras
Livrinhos de Teatro nº 115 Artistas Unidos/Cotovia

Livraria online »»

Subscrever Newsletter