AS REGRAS DA ARTE DE BEM VIVER NA SOCIEDADE MODERNA de Jean-Luc Lagarce

regras_a AS REGRAS DA ARTE DE BEM VIVER NA SOCIEDADE MODERNA  de Jean-Luc Lagarce
Tradução Alexandra Moreira da Silva Com Isabel Muñoz Cardoso Cenografia Rita Lopes Alves e João Calvário Figurinos de Rita Lopes Alves Luz de Pedro Domingos Som Emídio Buchinho Encenação Andreia Bento Assistência de Encenação Pedro Carraca
Uma produção Artistas Unidos

Estreia Teatro Taborda a 3 de Março de 2005
Guimarães Auditório da Universidade do Minho (integrado no Festival Gil Vicente), 8 de Junho de 2005
Porto, Rivoli Teatro Municipal (integrado no FITEI), Porto a 10 de Junho de 2005

O texto está publicado nos LIVRINHOS DE TEATRO, Volume 7 dos Artistas Unidos

Basta saber, em qualquer circunstância, que há uma solução, uma explicação para os problemas, pois a vida mais não é do que uma longa série de problemas ínfimos, para os quais cada qual tem de ter uma resposta.

regras_bNascer não é complicado. Morrer é muito fácil. Viver entre estes dois acontecimentos não é necessariamente impossível. Para se adaptar, basta seguir as regras e aplicar os princípios, e saber que para toda e qualquer circunstância, existe sempre uma solução, uma forma de reagir e de se comportar, uma explicação para os problemas, porque a vida é apenas e somente uma longa lista de ínfimos problemas, e cada um necessita e deve obter uma resposta. Trata-se de conhecer e de aprender, desde esse instante imediatamente mundano que é o nascimento, a desempenhar o seu papel e a respeitar os códigos que regem a existência. Finalmente, basta controlar as mágoas, chorar em quantidade suficiente e relativa, avaliar a importância da dor e sempre, nos momentos mais difíceis da vida, saber exactamente que lugar lhes concedemos.

Há um livro que tudo rege, todas as circunstâncias, organiza tudo, propõe uma solução para todos os instantes da vida, organiza, tranquiliza. É um livro absoluto. Explica como nascer, como estar em harmonia perfeita com o mundo desde o primeiro dia, como não cometer erros perante o nascimento dos outros, como descobrir a vida - quantas prendas, que presente - que atitude ter no dia do casamento, como preparar uma mesa, como demonstrar o amor ao ser amado e conhecer as palavras que lhe devem ser ditas, como lhe agradecer e como lhe pedir, como dar e obter, quanto dar e quanto receber. E depois, o que também não é de somenos, como morrer, o que dizer, o que fazer, como partir sem complicações, como manter a elegância também nesse momento, e não falhar o papel nem esquecer o texto.

Teatro da Politécnica

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, www.bol.pt, Fnac, Worten, CTT, El Corte Inglês, Pousadas da Juventude, Serveasy, Pagaqui. Para INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

fragil 1 prog FRÁGIL
Em Sobral de Monte Agraço, no CineTeatro Sobral a 28 de Abril
Em Sintra, no Chão de Oliva a 4 e 5 de Maio
Em Aveiro, no Teatro Gretua a 8 e 9 de Junho

o rapaz de ucello prog 1

O RAPAZ DE UCELLO ou aquilo que nunca perguntei ao Álvaro Lapa
No Porto, no Auditório de Serralves, 6 de Maio às 18h00

O Teatro da Amante Inglesa prog O TEATRO DA AMANTE INGLESA
Em Évora, n’A Bruxa Teatro a 11 e 12 de Maio
Em Alverca, no Teatro Estúdio Ildefonso Valério a 26 de Maio
Em Setúbal, no Fórum Luísa Todi a 29 de Agosto
a voz dos poetas prog A VOZ DOS POETAS
Na Biblioteca da Imprensa Nacional
7 de Maio - Gomes Leal por Jorge Silva Melo e Manuel Wiborg
fernando lemos prog FERNANDO LEMOS - como? Não é retrato?
de Jorge Silva Melo
Na RTP2, 9 de Maio às 23h15
EM VOZ ALTA prog EM VOZ ALTA os nossos poetas

Livrinhos de Teatro

capa115

O TEATRO DA AMANTE INGLESA
de Marguerite Duras
Livrinhos de Teatro nº 115 Artistas Unidos/Cotovia

Livraria online »»

Subscrever Newsletter