TRAIÇÕES de Harold Pinter

traicoes_a TRAIÇÕES (Betrayal) de Harold Pinter
Tradução Berta Correia Ribeiro Com Gracinda Nave, Marco Delgado, Rogério Samora e Pedro Marques ou Vítor Correia Cenografia e figurinos de Rita Lopes Alves , Rosa Gonçalves e José Manuel Reis Luz Pedro Domingos Som André Pires Encenação Solveig Nordlund
Uma produção Solveig Nordlund/Artistas Unidos/ Centro Cultural de Belém

Estreia Centro Cultural de Belém, 12 de Julho de 2001

O texto está publicado no volume TEATRO II de Harold Pinter (Ed. Relógio d' Água ).

BETRAYAL streou no National Theatre de Londres no dia 15 de Novembro de 1978, com o seguinte elenco: Emma - Penelope Wilton; Jerry - Michael Gambon; Robert - Daniel Massey. Encenação de Peter Hall. Cenário de John Bury. Em Portugal estreou em 1979 com tradução de Berta Correia Ribeiro e Mário Jacques e encenação de João Vieira, com Lia Gama, Mário Jacques e Filipe Ferrer.

Quando Robert se casou com Emma, em 1962, o padrinho foi o traicoes_bseu maior amigo, Jerry. Mas uma ligação começará entre Jerry e Emma. O tratamento que Harold Pinter dá a esta banal história de adultério no meio literário e elegante é surpreendente: a história é contada para trás. As nove cenas do texto começam quando finalmente o casamento de Emma e Robert se desfaz, em 1977 e cena a cena recuamos até 1968, quando a relação terá começado. Estamos na preocupação maior deste teatro de Pinter: a memória.Aquilo que o interessa é a maneira como a passagem do tempo muda a nossa percepção de como se passaram as coisas e do que nós fomos - de quem nós fomos.

O que é que eu posso dizer sobre TRAIÇÕES? Eu fiz isso.
Harold Pinter

Há um assunto subtil e brilhante que atravessa o que poderia parecer um convencional triângulo sentimental. Pinter oferece-nos uma estrutura sinfónica de variações sobre o tema da traição que acaba por ser uma meditação sobre o inextricável novelo de mentiras que são as relações sociais dos membros daquele segmento da sociedade, a elite a que ele, Pinter, e os espectadores, pertencem.
Martin Esslin

Quando realizei o filme (com Jeremy Irons, Ben Kingsley e Patricia Hodge), eu estava sempre a tomar partido por uma personagem diferente. As vezes pensava em como Emma era fantástica ao conseguir relacionar-se com os dois homens. As vezes pensava:" como é que ela ousa?. Ia mudando. Porque a peça vai mudando. É um texto sobre a insegurança masculina perante esse enigma, esse enigma talvez destruidor chamado mulher.
David Jones

Teatro da Politécnica

Bilheteira

3ª a Sáb. das 17h00 até ao final do espectáculo

Preços:
Normal | 10 Euros
Descontos | estudantes | – 30 | + 65 | Grupos >10 | Protocolos | Profissionais do espectáculo | Dia do espectador (3ª) - 6 Euros

Bilhetes à venda

No Teatro da Politécnica, Reservas | 961960281, www.bol.pt, Fnac, Worten, CTT, El Corte Inglês, Pousadas da Juventude, Serveasy, Pagaqui. Para INFORMAÇÕES/RESERVAS: Ligue 1820 (24 horas).

E fora da Politécnica

fragil 1 prog FRÁGIL
Em Sobral de Monte Agraço, no CineTeatro Sobral a 28 de Abril
Em Sintra, no Chão de Oliva a 4 e 5 de Maio
Em Aveiro, no Teatro Gretua a 8 e 9 de Junho

o rapaz de ucello prog

O RAPAZ DE UCELLO ou aquilo que nunca perguntei ao Álvaro Lapa
No Porto, no Auditório de Serralves, 6 de Maio às 18h00

O Teatro da Amante Inglesa prog O TEATRO DA AMANTE INGLESA
Em Évora, n’A Bruxa Teatro a 11 e 12 de Maio
Em Alverca, no Teatro Estúdio Ildefonso Valério a 26 de Maio
Em Setúbal, no Fórum Luísa Todi a 29 de Agosto
a voz dos poetas prog A VOZ DOS POETAS
Na Biblioteca da Imprensa Nacional
7 de Maio - Gomes Leal por Jorge Silva Melo e Manuel Wiborg
fernando lemos prog FERNANDO LEMOS - como? Não é retrato?
de Jorge Silva Melo
Na RTP2, 9 de Maio às 23h15
EM VOZ ALTA prog EM VOZ ALTA os nossos poetas

Livrinhos de Teatro

capa115

O TEATRO DA AMANTE INGLESA
de Marguerite Duras
Livrinhos de Teatro nº 115 Artistas Unidos/Cotovia

Livraria online »»

Subscrever Newsletter