ORGIA / POCILGA

de Pier Paolo Pasolini

Traduções de Pedro Marques e Olinda Gil
Livrinhos de Teatro nº 16, Artistas Unidos / Livros Cotovia

Mais do que uma peça de teatro, Orgia pode ser definido um poema a várias vozes, ou um oratório laico que exprime, entre lirismo e declaração, os temas preferidos de Pier Paolo Pasolini. A crise da sociedade é representada através de uma obsessão individual, em que o mistério da geração de filhos e o problema da identidade pessoal encontram a obsessão do sexo, objecto de culpa e meio de conhecimento: eis então o delírio, contado, saboreado e seccionado, de um casal sado-masoquista, uma orgia sangrenta de palavras que encontra a sua própria essência no reconhecimento da diversidade.

Franco Quadri, Panorama, 10 de maio 1982

Esgotado

7.00

L16