PARTIR A MEIO DIA

de Paul Claudel

Livrinhos de Teatro nº 127
Uma edição Artistas Unidos/ Livros Cotovia com o apoio Fundação Calouste Gulbenkian

No final do realismo teatral, esta peça fulcral do simbolismo. "Parti. Mas logo regressei à dor, Pois tudo me ruiu... Tudo era igual:" , também  Paul Claudel neste inicio do século XX podia subscrever este Mário de Sá Carneiro. Tudo é invenção, da linguagem ao estatismo, do desejo ao adultério, tanta gente ansiando "um pouco mais de azul"...

7.00

L127